Quando em 1975, após 500 anos de história colonial, Moçambique havia conquistado a sua independência de Portugal, somente cinco entre cada cem habitantes sabia ler e escrever. De acordo com as Nações Unidas 30 anos mais tarde o analfabetismo ainda atinge somente 40 % da população moçambicana. O fato de que hoje em dia 60 de 100 pessoas conseguirem ler, escrever e  calcular é devido aos esforços do país e às inúmeras organizações humanitárias empenhadas em Moçambique.

Também as organzações de cooperação escolar alemãs  lançadas pelo padre espanhol Vicente Berenguer tem um papel importante neste contexto.

 Com isto, centenas de milhares de crianças moçambicanas receberam um ensino básico  aprofundado e milhares obtiveram a chance de visitar uma escola secundária. Desde 1980 a ideia de empenhar- se numa cooperação escolar com o país em vias de desenvolvimento Moçambique é um factor importante do trabalho pedagógico da Escola Integrada de Hungen. Este trabalho está vinculado a ajudas concretas a escolas em Moçambique. Isto sucedeu em diversos lugares e regiões: em N'kondedzi (Província de Tete), em Amatongas, Sussundenga, Chimoio, Gondola e Macate (Provincia de Manica), em Conhane (Província de Gaza), nos bairros pobres de Maputo e em Ressano Garcia (Província de Maputo). O empenho de diversas gerações de alunos e alunas, seus professores, e da população da região de Hungen deu os seus frutos.  Todos nós podemos ficar orgulhosos com isso.

 

 

Por ocasião do trigésimo aniversário da Escola Integrada de Hungen Padre Vicente Berenguer escreveu as seguintes palavras na sua carta de saudação: 

 

 “Vocês aprenderam a ver os países do „Terceiro Mundo“ como algo que também faz  parte de vocês próprios,  e dos quais devem aproximar- se amistosamente , e vocês integraram uma parte dos valores culturais dos mesmos  dentro de si . Em contrapartida, aqueles países aprenderam a ver o „Primeiro Mundo“ como algo que lhes pertence e a estender a mão como símbolo de amizade. Então, houve uma ajuda entre amigos e não de ricos a pobres. E este intercâmbio tornou- nos a todos mais dignos. O arco- iris da amizade ficou mais presente em nossos países“.

Desde 2002  a Escola Integrada de Hungen e as sociedades de utilidade pública que a apoiam no setor organzatório recebem apoio financeiro (75% das despesas) do   Ministério Federal Alemão de Cooperação Económica e Desenvolvimento. Este apoio tornou possível que especialmente o foco do nosso trabalho de colaboração escolar, a ESCOLA PRIMARIA COMPLETA DE BENGO ULI SEIBERT, fosse transformada num centro escolar exemplar.  

Esta escola, situada num subúrbio Bengo a oeste de Gondola (Província de Manica) porta o nome da inesquecível porta- voz da Escola Integrada, ULRIKE SEIBERT. Em julho de 1991, pouco antes de poder iniciar um voluntariado na área social em Moçambique, Ulrike sofreu um acidente mortal.

Em  abril de 1992, na presença da vice- porta- voz Bettina Schmidt, foi lançada a pedra fundamental das duas primeiras salas de aula. Hoje a EPC ULI SEIBERT dispõe de 8 salas de aula, uma sala de professores, uma refeitório escolar e casas de banho higiénicas. Um poço artesiano de 40 metros de profundidade abastece não somente os 700 alunos, mas também  a população das redondezas, com água potável limpa.    A escola está eletrificada e dispõe de um campo de desportos multifuncional. Com isso a ESCOLA  ULI-SEIBERT de Bengo transfiormou- se num centro social. 

As relações com a EPC ULI SEIBERT vão muito além do apoio material: Contatos atravéz de cartas dos alunas e alunos em Inglês- a língua oficial em Moçambique é o Português-, workshops em conjunto com professores moçambicanos e alemães em Moçambique e na Alemanha e visitas recíprocas são o fundamento de uma cooperação escolar verdadeira.

 

Mais construções escolares seguiram- se: em 2009  uma escola primária com 4 salas de aula em Chanculo às margens do Rio N'komati (Distrito de Moamba), a 35 km de Ressano, em 2011 a EPC Nhamacoa-Rica perto de Macate (Distrito de Gondola) com 5 salas de aula, um Bloco Adminisrtrativo, casas de professores e um poço artesiano, em 2014 a EPC  Chibuto 2,  onde  a população de região tambem receberam 5 salas de aula, um Bloco Adminisrtrativo, casas de professores, um poço artesiano e uma sisterna de águas pluviais.

O nosso ultimo projeto é a reabilitação e o alargamento da Escóla Secundária Geral Josina Machel em Gondola (acabado em 2017). 

Desde a construção da EPC Nhamacoa-Rica, a Fundação “ALTERNAID para Pessoas Necessitadas” participarou no financiamento das escolas com  altos contributos financeiros.

 

 

A Escola Integrada de Hungen e a sua Associação de Cooperação com Moçambique alegram-se com a adesão de novos membros. Um contributo voluntário de 12 Euros anuais, do qual adolescentes e crianças estão isentados, será bem-vindo. Este  serve para cobrir os pequenos custos administrativos. Todos os donativos recebidos devem continuar a ser revertidos a favor das crianças moçambicanas.

 

Contas bancárias para os donativos:

 

Sparkasse Laubach-Hungen

IBAN: DE41 5135 2227 0001 0103 88

BIC: HELADEF1

 

Volksbank Mittelhessen

IBAN: DE59 5139 0000 0081 3333 19

BIC: VBMHDE5F